quarta-feira, 4 de março de 2009

LUTO[2]




Há muito que vinha doente. Permanecia em um eterno estado de inércia; uma espécie de coma político-social. Vivia cansada de tantas agressões sofridas desde o seu nascedouro. Não sei nem mesmo dizer se algum dia esteve saudável. Creio eu que já tenha nascido assim, doente: meio anencéfala, meio aleijada; e sempre que era oportuno, demonstrava estar cega, surda e muda. Mas aos poucos foi sobrevivendo. Entre massagens cardíacas realizadas vez ou outra (Diretas Já; Impeachment do Collor etc), a Democracia foi resistindo aos ataques e embustes políticos daqueles que lhe eram contra; adeptos do militarismo e do totalitarismo político.
Morreu no dia 04 de março de 2009, no Estado do Maranhão, a Democracia; foi morta em nome do Poder e do Orgulho. Depois de perderem duas vezes consecutivas nas urnas – a primeira vez nas eleições para governo do Estado do Maranhão de 2006, quando a candidata e filha do atual Presidente do Senado, Roseana Sarney foi vencida no 2° turno para o candidato Jackson Lago; e a segunda vez, quando nas eleições para prefeitura do Maranhão, o candidato Flávio Dino (apoiado e financiado pela família Sarney) foi derrotado, também em segundo turno, para o também candidato João Castelo – de maneira claramente democrática, o Presidente do Senado e Senador do Amapá, José Sarney, não conformado com suas derrotas, resolveu apelar para a força; e quando falo de força, refiro-me não à física, mas à política.
Representado pela coligação Maranhão: a Força do Povo (PFL, PTB, PV e PMDB), Sarney entrou com uma Ação de Expedição de Mandato, exigindo fosse o atual governador do MA, Jackson Lago (PDT) e seu vice, Luís Carlos Porto (PPS), cassados e retirados do governo, para que então pudesse assumir o segundo colocado nas eleições para governo ocorridas em 2006: sua filha, a Senadora Roseana Sarney. Dessa forma, a família Sarney estaria recuperando o orgulho perdido para a força do povo que falou mais alto e deu um basta na Oligarquia Sarney em 2006, sendo confirmada a sua vontade na última eleição para a prefeitura.
Para justificar tal pleito, foi alegado no processo que o governador Jackson Lago havia sido favorecido por um esquema de lideranças, através de convênios milionários, articulado pelo ex-governador José Reinaldo, para apoiar a campanha de Lago nas eleições que o sucediam. Alegou-se também a utilização de verba pública para a compra de votos em diversos municípios e para doações que favoreceriam à candidatura de Lago.
Quem poderia imaginar que justamente no País do Mensalão, do Bolsa Escola e do Bolsa Família, algum dia se veria um político ser cassado e destituído de seu cargo sob tais argumentos? Que atire a primeira pedra aquele que nunca se utilizou de meios ilícitos para tentar se eleger. Além do mais, como é possível julgar e condenar um governador sob tais provas, se o próprio Presidente da República tem agido mesma maneira com a atual Ministra-Chefe da Casa Civil e pré-candidata à Presidência da Repúlica, Dilma Rousseff (PT); gastando dinheiro do povo para lançar (ainda que não oficialmente) a candidatura de sua possível sucessora?
Confesso que foi uma decepção, pois que em se tratando das arte-manhas de Sarney, esperava-se um golpe menos baixo. Por que se utilizar da força política? Por que não apelar pro povo, aquele que tantas vezes o elegeu e pôs o nome de sua família no Poder? Não é suficiente sabotar todas as propostas elaboradas pelo Jackson ao chegarem no Senado? Decepção ainda maior foi ter que ouvir o ex-ministro Sepúlveda Pertence declarar o governador como sendo um “médico ingênuo, remascente do mandonismo”, deixando bem claro a sua preferência política por aqueles que se utilizam de oligarquias, clãs e totalitarismo, mandando em tudo e em todos, para conseguir aquilo que se quer.
Também decepcionante foi o voto do Ministro Eros Grau, que talvez chegue a ser o mais intelectual daqueles que se encontram no Supremo. É nessas horas que eu me orgulharia de ser “hermana”, por ter como Presidente do Supremo Argentino, o ilustre Zaffaroni. Para encerrar, e assassinar de vez a nossa Democracia, o Ministro Carlos Ayres Britto ao justificar seu voto à favor da cassação, citou o brocardo: “Para os amigos, os favores. Para os inimigos, os rigores da lei.” É, talvez isso explique o porque da família Sarney estar atuando no pólo ativo desta ação.
Mataram a nossa Democracia. O povo brasileiro, juntamente com o maranhense - aquele que lutou incessantemente nas eleições para derrotar uma oligarquia que perdurou quarentas anos-, está de luto. Todavia, a luta não acabou. Hoje nossa Democracia encontra-se morta, mas pode ser que amanhã, à exemplo de Cristo, ela possa ressuscitar.


Alanna Yara Sousa

5 comentários:

talita disse...

cara... concordo com tudo, alanna. disseste tudo. puff... espero que não venham mais 40 anos.

Anônimo disse...

As coisas não são bem assim minha cara,se tivemos uma Oligarquia Sarney, tb temos uma Oligarquia Jackson.Como o próprio Ayres Brito falou:"preferível uma minoria legítima do que uma maioria ilegítima".Tuas aparentes belas palavras só causam admiração em quem continua nesse senso comum sobre a política no Maranhão, ñão importa o que os adversários de Sarney tenham feito ou façam para chegar ao poder, o importante é que impeça de mais tantos anos de oligarquia e bla bla bla.Não falo como um "simpatizante" de Jackson ou de Sarney, mas como uma pssoa que sabe diferenciar o que foi ou não democratico.Votei em Jackson, mas o resultado nada mais foi do que mto justo.

Alanna Coolerman disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alanna Coolerman disse...

É sempre bom ter alguém que discorde da gente. Afinal, esse é o objetivo do blog (pelo menos o meu): criar polemicas e debates.
Seria bom, anonimo, se tu ao menos te identificasse.
Jackson mereceu ser cassado?? Mereceu, pra largar de ser burro. Porque se fosse inteligente, como é José Sarney, nunca teria sido pego. Não sou a favor da corrupção, nem de compra de votos. Discrimino qualquer forma ilicita de subida ao poder. Mas o que mais me indigna, são os golpes baixos com os quais os perdedores se utilizam para tirar do poder, aqueles que o tiraram, primeiramente.
Mas enfim, obrigada pela visita e pelo comentário.
Espero que continues visitando; e se possivel, se identifique.

Abraços

Anônimo disse...

Prefiro não identificar-me, isso n faz diferença.Questão de merecer ou não, TODOS os políticos do Maranhão nunca mereceram nossos votos.TODOS utilizam-se da máquina pública para chegar ao poder, todos compram votos, seja Jackson, Roseana, e por último e pricipalmente João Castelo... mas como tu disse, Jackson foi burro, porque Sarney tem conhecimento de como é a política aqui no MA, tem conhecimento de como é o eleitorado desta terra e por isso espertamente colocou "escutas" atrás dos adversários de sua filha.Bom ou ruim?MARAVILHOSO! Que todos sejam cassados, é uma vergonha? é! Mas n temos que ter a o orgulho de mostrar ao BRA inteiro o quanto vergonhosa é a política do MA.Que venham mais e mais cassações.E que os ´políticos mais espertos como Sarney consigam demonstrar que os adversários dele utilizam as mesmas armas dele, a diferença é que ele tem a prova nas mãos, e os outros, pobre e medíocres corruptos, além de tudo burros, irão padecer a vontade da família Sarney, do próprio Sarney porque ele se utiliza não só do poder financeiro, mas do intelectual, o mais poderoso de todos...